Notícias locais

30 de outubro de 2019

Como se planejar para pagar as contas de janeiro e ainda ficar com dinheiro no bolso


Quando se trata de finanças, a dica mais preciosa para fazer o seu dinheiro render é planejamento. A seguir, você encontra três sugestões de como fazer isso na época mais difícil do ano
  1. Saiba antecipadamente o quanto você vai gastar com as dívidas de janeiro

 

As dívidas do período de Festas e começo do ano são sempre as mesmas: rematrícula, IPTU, IPVA, material escolar, faculdade, entre outras, que variam a cada pessoa. A vantagem, aqui, é que você pode se programar antecipadamente para quitá-las. Afinal, você sabe o quanto terá de desembolsar.

O ponto central aqui é que as despesas são recorrentes e ocorrem no mesmo período, logo você as conhece bem e tem como calculá-las com antecedência. Com essa valiosa informação em mãos, pode pensar em poupar uma quantia mensal para pagá-las à vista em janeiro sem precisar de parcelamentos ou empréstimos ou então guardar parte do 13º para tal.

 

  1. Pague à vista e ganhe descontos

 

Com dinheiro à disposição para pagar as contas, você pode conseguir descontos. Pesquise quais contas você pode pagar à vista e obter vantagens com isso. Em algumas cidades, é possível chegar até 20% de desconto no IPTU, por exemplo. Mesmo os descontos mais modestos, de 5% que seja, fazem diferença na soma total.

Na prática: as faculdades, em geral, oferecem descontos para quem pagar a rematrícula ou mensalidade até determinado dia do mês. Se a mensalidade custar mil reais e o desconto for de 10%, por exemplo, ela passaria a custar R$ 900. Quem não quer 100 reais a mais na conta, hein? Negocie tendo em mente que quem não pede desconto acaba pagando por aqueles que o fazem. Insista!

 

  1. Vai sobrar dinheiro. O que pretende fazer? 

 

Se você se planejar, vai sobrar dinheiro! E o que você vai fazer com ele? A sugestão para esse período do ano é: evite gastos desnecessários e cuidado com os pequenos gastos do dia a dia. A tentação das promoções pós-festas de fim de ano é grande, mas a dica é usar o dinheiro com consciência e pensar na necessidade de cada item antes de comprar.

Poupando dinheiro, independentemente da quantia, você pode investir. Na Diin, primeira fintech a possibilitar o micro investimento no Brasil, você aplica o dinheiro em Letras Financeiras do Tesouro (LFT) – o título Tesouro Selic, que acompanha o retorno da taxa básica de juros e tem liquidez diária. Você deixa o dinheiro investido e pode acompanhar, dia após dia, ele rendendo para você – muito mais do que a poupança, vale lembrar. É simples! E se precisar resgatar o investimento, você recebe o dinheiro aplicado com o acréscimo do rendimento do CDI no período em que o valor ficou lá. É um investimento seguro e tem retorno garantido.

 

Voltar para Notícias

parceiros