Notícias locais

7 de maio de 2021

Covid-19: inovação tecnológica elevou o lucro de empresas


A necessidade de atender e aprimorar novas demandas em meio à pandemia da Covid-19 – como as compras online – levou empresas do mundo todo, nos mais diferentes segmentos, a buscarem inovações tecnológicas para agilizar processos, mudarem a cultura organizacional e a atenderem de forma mais rápida e efetiva o público-alvo. A evolução rendeu frutos.

De acordo com um levantamento realizado pela Accenture, empresa global de serviços profissionais líder em soluções para digital, nuvem e segurança, empresas que investiram pesado em tecnologia em 2020, durante a pandemia, conseguiram aumentar a vantagem em relação aos seus principais concorrentes.

O estudo Make the Leap, Take the Lead destaca o papel fundamental da tecnologia no sucesso dos negócios, o que permite a sobrevivência e o crescimento das empresas em um dos momentos mais turbulentos da história. As organizações que apostaram na inovação tecnológica – como nuvem e IA (Inteligência Artificial) – obtiveram aumento de receita cinco vezes mais rápido do que as concorrentes e significativamente maior do que o crescimento registrado por elas mesmas alguns anos atrás.

Cronograma acelerado

Por outro lado, muitas empresas fizeram seus primeiros investimentos em novas tecnologias há pouco tempo, a fim de garantir a manutenção dos negócios durante esse período. A demora na decisão custou caro e as obriga, no contexto atual, a aperfeiçoarem rapidamente os processos.

Ainda conforme a pesquisa da Accenture, uma nova categoria de negócios surgiu: as chamadas Leapfroggers, empresas que aceleraram o cronograma da transformação digital por meio de estratégias tecnológicas agressivas e progressivas, convertendo os desafios do ano passado em oportunidades e vantagens competitivas. Trata-se de um grupo que se destacou pela capacidade de encontrar rapidamente o equilíbrio entre a força dos sistemas e o aumento da inovação.

O estudo ouviu 4.300 profissionais, classificou as empresas como Líderes (10% principais da amostra total), Leapfroggers (18% da amostra) e Retardatários (últimos 25%) e analisou o desempenho financeiro de cada grupo.

Cenário do varejo

A presença digital dos supermercados é o tema de “O supermercado tá ON?”, reportagem de capa da edição de abril da SuperVarejo que aborda a conjuntura do segmento e aponta quais melhorias ainda precisam ser feitas. (Clique para baixar a sua edição completa).

Conforme a 3ª edição do estudo Transformação Digital no Varejo Brasileiro, desenvolvido pela SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo), em parceria com Oasis Lab Innovation Space e divulgada no último mês de abril, houve um aumento de 87% no investimento em transformação digital, segundo os varejistas entrevistados, representando 0,73% sobre o faturamento bruto das empresas. “É um crescimento expressivo, mas existem procedimentos que ainda podem melhorar bastante. Um deles é o emprego da tecnologia contra rupturas, que ainda consistem num grande problema para os supermercados por provocar perdas significativas”, diz Simone Dias, consultora especializada em varejo da Dias e Gomes.

Ainda conforme Simone, dois fatores exigem o foco dos supermercadistas no que diz respeito à inovação digital: a experiência do shopper no ambiente online e o treinamento dos colaboradores. “Nenhuma mudança tecnológica deve perder de vista o elemento humano”, afirma.

Voltar para Notícias

parceiros