Notícias locais

18 de outubro de 2019

Empresa com uma gestão de custos eficiente consegue competir com preços mais atrativos


O acompanhamento constante dos gastos facilita a identificação de desperdícios de recursos em áreas da empresa

Não é segredo para ninguém que é interesse do consumidor pagar o menor preço que puder na aquisição de bens e serviços de qualidade. Quando o orçamento familiar fica apertado, geralmente em situações de crise ou de fraco desempenho econômico, o fator preço se torna ainda mais determinante nas decisões de compra. Para não perder vendas, a gestão de custos, se bem aplicada, possibilita que a empresa ofereça produtos e serviços aos seus clientes a preços mais atrativos.

Vale ressaltar, porém, que essa gestão não se restringe apenas à avaliação do custo de aquisição de mercadorias, pois deve englobar toda a estrutura de custos do negócio, sejam os fixos, que independem das vendas e da produção – como o aluguel do estabelecimento, serviços de limpeza e segurança, água e luz – e os que variam conforme os volumes vendidos e fabricados – insumos, matérias-primas, horas-extras e comissões.

Para começar a gerenciar os custos, o empreendedor deve registrar em uma planilha todas as despesas administrativas, comerciais e financeiras de forma segmentada. Essa prática permite identificar atividades ou setores em que pode haver um corte de custos.

De acordo com a assessoria técnica da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), além de fornecer subsídios para a tomada de decisão, o gerenciamento de custos produz informações que podem ser utilizadas no estabelecimento de metas, na precificação de produtos e no controle da rentabilidade da empresa. E se houver a necessidade de cortar despesas, a dica mais importante é que ela não pode afetar negativamente a operação e a qualidade do atendimento ao cliente, o que comprometeria significativamente o faturamento do negócio.

Algumas medidas simples de redução de custos envolvem a troca de lâmpadas e equipamentos de iluminação, a instalação de redutores de vazão de água, a adoção do regime tributário adequado ao porte do negócio, o acompanhamento contínuo do fluxo de caixa, a renegociação de dívidas e o gerenciamento dos estoques.

Voltar para Notícias

parceiros