Asian postman, deliveryman wearing mask carry small box deliver to customer in front of door at home. Man wearing mask prevent covid19, corana virus affection outbreak. Social distancing work concept.

Notícias locais

16 de outubro de 2020

Vendas de produtos domésticos disparam


A pesquisa global da Experian, realizada com três mil consumidores em dez países do mundo, revelou que o Brasil lidera o maior crescimento de compras online de produtos domésticos (exceto alimentação), saltando de 11% no mês de março para 31% em julho. Tudo por conta da pandemia, que levou as pessoas a mudarem cada vez mais os seus hábitos e prioridades.

O Brasil também se destacou nas compras dos produtos alimentícios pela internet (desde in natura até refeições prontas), subindo de 60% para 71%.

“O cuidado com a saúde trouxe à população uma mudança de hábito que privilegia as compras e interações no ambiente virtual, e essa tendência deve continuar após o isolamento social. Com isso, é fundamental que as empresas se adaptem a esta nova realidade para estarem cada vez mais preparadas e seguras no atendimento desse consumidor mais digital”, explica a diretora de Decision Analytics e Marketing Services da Serasa Experian, Beatriz Raulino, a respeito da expectativa dos brasileiros de aumentarem as suas compras online em 53%, nos próximos seis meses.

Junto com a demanda, o levantamento mostrou que as expectativas dos brasileiros também aumentam, ao ponto de 71% dos entrevistados confirmarem uma expectativa alta na entrega das experiências digitais online. “A mudança de comportamento trouxe maior conscientização para os consumidores e empresários sobre o ambiente virtual. As pessoas estão mais atentas aos cuidados que devem ter ao realizarem ascompras ou transações nesse ambiente. E as empresas perceberam que precisam de processos seguros e um atendimento eficiente para garantirem o retorno do cliente”, destaca Beatriz.

Mas será que esses consumidores estão satisfeitos com o atendimento online? O levantamento também incluiu esta pergunta e de acordo com a apuração, 44% afirmaram que fariam mais negócios com as empresas durante o isolamento social e 33% manteriam o nível de negócios feitos durante o período.

Entre as opções de serviços de pagamentos oferecidos aos clientes também houve um aumento de 16% no uso das carteiras móveis, soluções eletrônicas que armazenam dados bancários e de identidade para facilitar as operações financeiras, e aplicativos de varejo.

Os consumidores disseram inclusive que têm mais confiança nos fornecedores de serviços de streaming (60%), nos fornecedores de tecnologia (56%) e nos sistemas de pagamento (55%).

24% dos brasileiros reduziram os gastos desnecessários

A Experian também notou uma mudança na relação dos consumidores com o dinheiro. Entre os participantes brasileiros, 24% afirmaram que estão reduzindo os gastos desnecessários e 21% estão economizando mais com os fundos de emergência. “Os momentos difíceis podem ser boas oportunidades para reavaliar os hábitos de consumo. A educação financeira é muito importante para ajudar o consumidor a lidar com os seus recursos, principalmente nos momentos adversos”, acrescenta a executiva.

Voltar para Notícias

parceiros